sexta-feira, 31 de outubro de 2008

comentário

atendendo a pedidos
deixe um comentário
é que tenho medo do não:
primeiro ele me assusta,
depois me faz leão.

quarta-feira, 22 de outubro de 2008

carne de adão

cópia da carne de adão
tenho tantos irmãos
que nessa terra do nunca
em transe
se multiplicam.

cópia por água abaixo
matiza, e aos cântaros dilui
cada bom bocado
do indivíduo que fui.

quinta-feira, 16 de outubro de 2008

noturna

estamos aqui a pensar
onde adiante na alma
no lugar certo de estar
se guardam segredos
os sonhos e o velho medo
pra ciência pesquisar
pois no travesseiro se assentam
faíscas e cinzas da noturna
que passou como uma bruma
espiou nosso acordar

quinta-feira, 9 de outubro de 2008

cartola

pá e bola
tal e coisa
quando escuto cartola
é uma mola de dor sem dó
cheiro de rosa, cor do amor
o vibrato desse homem
lembra o canto da minha avó
de costureiras, lavadeiras
com certeza sem bobeira
num samba de bamba
ao som do batuque
nunca mancaram, ninguém bobeou
o baque vem do atabaque
que marca o sambista
esse senhor
guardando premissas
desconhecidas dos brancos
prantos por amores tantos
espinho e flor.

quarta-feira, 1 de outubro de 2008

dos amigos

tenho dois cigarros
um para cada pulmão
um para cada solidão
dessas do dia-a-dia.

tenho duas azias
uma da comida
outra da vida
dessas que se pratica.

tenho dois amigos
um para o sol
outro para o frio.