sexta-feira, 26 de março de 2010

gaivota*

esse texto aqui
vai pra uma senhora
que o tempo namora
e com ele sorri
cuja trajetória agora
é a despedida de irmãos
netos
bisnetos
sobrinhos
e um único filho
que com carinho
narram sua história.

na sabedoria de vida
dessa mineira carioca
que saiu cedo da toca
meu jeito se escora.

vai vó, vai virar gaivota
obrigado por me fazer homem
que na saudade chora.

* Aracy Rezende Chagas, a Dona Aracy, se despediu hoje de manhã e foi tratar dos assuntos do céu e das estrelas. Vó, eu te amo.

bora

bora em frente
é hora
de sermos mais gente
nas rodas
agora
vamos logo
ora
noutras bossas
essa vida é a cores
prenhe de presença
vê-se nas flores.

a existência de verdade
é o que vigora.

quarta-feira, 24 de março de 2010

pros anjos

agora sem mantos
sigo aos prantos
rumo ao vento
dos encontros
depois de tantos bandos
tombos
santos
anos
ainda sou jovem
pros anjos

terça-feira, 9 de março de 2010

leva e traz (RJ/SP)

esse poema assim
saiu meio são
não sei se bom
se serve
pra refrão
que desentoa
névoa fina garoa
que chova de novo em são paulo
já que o rio de janeiro
é calor e nada mais.
esse poema leva e traz.

jeito

se te causo conforto
é que o forro é de amor
se te marco o passo
é só pra dançar junto
se te piso no calo
foi sem querer
sem saber
qual é o compasso.

não é caso de doutor
mas de jeito
e tesão.

sei não
sou só um menino
com um caderno na mão.