sexta-feira, 17 de junho de 2011

barulheira

espero a rua se acalmar
pra abrir a janela
desligar o ar
e respirar

joia

minha joia/bom te ver ali/sem marra/nem amarras/e meus olhos/batendo palmas/pra tua farra

10 passos

com 10 passos cruzo meu quarto
mas nem com mil arcos flecho o fato

que esse espaço é um oceano

azul, sereno e esparso,

insano.

sábado, 4 de junho de 2011

cheiro

no que o dia vira noite
deito no teu cheiro
e meu sono é você aqui
quando do trabalho chego
meu ocaso já é nada -
guardo a alvorada
e sonho com teu beijo.