segunda-feira, 26 de setembro de 2011

galáxias

tanta briga de mar, quanta canseira
de beijo trançado
falta de ar, bobeira
amarra teu arado a uma estrela
liberta meu cometa
pra sair daqui em minutos
virar ano-luz nos mundos
de pessoas mudo
e me lambuzo
em outras galáxias

deixou

depois que ela foi

a noite ficou brava

bradava mágoas

ventanias

não sei por que cargas d'água

a rádio FM musicava

a vontade e o rastro que ela deixou.

o vento tentou

mas não espalhou o amor.