quarta-feira, 14 de maio de 2014

Copa

como estar animado
se corto um samba dobrado
numa cidade em cacos? 

alto lá transeunte
abaixo as pontes
salvem os tapumes
e vamos pra Copa!

respire até junho para poder cerrar o punho 
de amarelo, de frente pra TV que, como nos anos 70
aliena e ameniza
quase brisa nas dunas da Gal
     pra você torcer.    

outonal

na sombra, ao relento
olhando pro céu
no teto do pensamento
dizem que vivo de vento
e que o inverno do meu tempo*
de cartola, bem vestido
sopra assobio bonito
causa até calafrio.

e se maio desfaz calor por amor ao fim de tarde 
inverno no Rio é contraste
tremendo escarcéu
de polvilho e vento
beira de praia, marola -
lenço afro
num cabelo de mola.  

* O inverno do meu tempo é uma música de Cartola      

terça-feira, 13 de maio de 2014

pinta&borda

a vida é de voltas, ir e vir:
dia a gente pinta
outro a gente borda.
e quando transborda
batemos botas,
cantamos para subir.


soul glo

james brown não foi enterrado
gostaria de ter seus sapatos
e a capa pra proteger
meu penteado.

mito

um homem muito ouviu e tudo escreveu.
teve acesso irrestrito
a doces e detritos
livros e ritos
aos mortos e aos vivos.

tudo lhe foi relatado, tudo lhe foi dito.

narrou sussurros e gritos
amor de toda cor,
ódio de todo tipo
quase virou um mito.

mas quando pediu um minuto de atenção
ninguém lhe deu ouvidos.

soltou a verdade aos ventos
e o mundo soltou um gemido
mandaram-lhe para longe, bem longe


terminou sozinho e maldito.