sexta-feira, 25 de setembro de 2015

quinta-feira, 10 de setembro de 2015

adorno

o brinco quebrado
deixado de lado
me lembra do rosto,
da boca e do gosto
e a sorte desse agrado
enfeita o esquerdo do peito
nele deita, baita invasão
    na cama do meu coração.   

terça-feira, 1 de setembro de 2015

fada

fada em apelido?
lido com uma sem saber
vejo os cabelos, miro o sorriso
na dúvida sigo seu mito
encontro-a entre fotos e risos 
onde meu nome é desejo
e toda noite o realizo.  

palma da mão

guardo na mão um beijo de criança
desses que pais pedem pra mandar
de marinheiro indo pro mar 
mas o meu vai pra uma estrela
de luz certeira, com brilho e véu 
espero um dia sair do chão 
e na noite dela virar céu 

lábio

um trago pra passar o tempo
enquanto o vento não traz o cheiro
de um lábio vermelho
aguardo seu movimento
pra me sentir inteiro  

soneca


sonho no Soho
acordo em Botafogo
num voo sem dono
pouco sono
e algum abandono:
em sonecas insones
trombones solam