quinta-feira, 4 de fevereiro de 2016

encaixe

ele nem sabe
o quanto agrada
encaixo na saia
e não saio mais.

por trás da fada 
ela bem cabe
encaixa na barba 
e não sai mais.

quando deitamos,
transamos os cantos,
curvas e luas
desse encanto. 

marginal

com tua ausência
perco quantidades de mim
mas pra quem tem milhagem
nunca é tarde:
envelhecer é bobagem
vivo à margem
do passar do tempo 
adiando o fim.

febre

com a cerva que a gente não abriu
mando a saudade pra Portugal de navio
no fio da febre:
quando se ama
a vida é breve.